terça-feira, 15 de outubro de 2013

Não estamos ficando mais jovens…

… mas devíamos estar mais sábios!

A experiência que nossos anos  nos trazem deveriam fazer de nós pessoas mais sábias. Deveria permitir que identificássemos, de pronto, quais pontas de faca queremos esmurrar. Deveria nos ensinar  identificar aquelas pequenezas que valem mais a pena serem ignoradas. Deveria nos ensinar a calar quando palavras são demais, e deveria nos dar eloquência quando necessário. A experiência deveria nos ensinar que não é errado desistir, que errado é não avaliar serenamente uma situação e, dessa serenidade, gerar a decisão de insistir (persistir) ou desistir. Deveria nos ensinar a batalhar as batalhas certas, as que queremos lutar, não aquelas que outros querem que nos embrenhemos. Ah, a experiência, que nos dá nossas cãs, nos leva a visão, vai tirando lentamente nossas forças, não pode dar essas coisas todas de que sinto falta.

Porque essas coisa não são herdadas, adquiridas ou recebidas por imposição. São uma decisão que tomamos.

E cada um as toma de acordo com sua própria convicção, ou falta dela.

Há os que escolhem se questionar, se reinventar, mudar suas convicções de acordo com o que a experiência lhes mostra. Há os que celebram, os que buscam, os que caem e levantam.

Mas há os que  escolhem deixar a vida fora de seu controle, que culpam os outros, que alimentam mágoas, que se escondem atrás de convicções anacrônicas, medos ainda infantis.

Para os primeiros, o passado é amigo. Para os segundos, o passado é algoz.

Desapeguemos, principalmente das mágoas. Afinal, não estamos ficando mais jovens. Mas podemos ser mais sábios.E, por consequência, mais felizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário