segunda-feira, 27 de maio de 2013

Felicidade é uma decisão, um estado de espírito

Há aqueles que nunca estão satisfeitos, e não ser permitem isso. Acham que a vida é uma cenoura atrás da qual se deve correr sempre, e por mais que conquistem, querem sempre mais. Não estão errados, o objetivo do ser humano deveria ser sempre a conquista do algo mais, do quilômetro extra, do mais um pouquinho. Seja o que for esse mais: material, conhecimento, reconhecimento.

Mas há aqueles que, consolidada a conquista, não desfrutam de seus benefício, nem mesmo dos psicológicos. Porque conquistar uma meta pode ter nenhum componente financeiro, mas somente aquele gostinho especial de chegar aonde queria. Dentre estes, há uma parcela que se diz infeliz…

E há aqueles que não atingem metas, aqueles para quem a vida não é fácil. Não andam de carro importado, nem ao menos novo, não viajam ao exterior, talvez nem à praia. Sacolejam por horas, de manhã e à noite, para ir e vir do trabalho. Não têm bônus de desempenho, não têm vaga na garagem. Têm, com exceções, plano de saúde e vale-alimentação, e a vida não lhes sorri com muita frequência. Ainda assim, há uma grande parcela destas pessoas que se dizem felizes.

Pois eu acho que é isso mesmo: a felicidade não se traduz exclusivamente e conquistas, ou a questões financeiras. A felicidade deveria ser – e é, efetivamente, para algumas pessoas – um estado de espírito. É o exercício solerte da arte de olhar o lado bom, de enganar a dureza da vida, de encontrar motivos para rir e sorrir. É uma posição a priori, é uma atitude, é a firme decisão de alguém que não deixa que as pedras o afastem do caminho.

Um dos maiores exemplo de felicidade por decisão que já vi o do piloto Alex (Alessandro) Zanardi.Depois de perder as duas pernas num acidente da Fórmula Indy, teve forças para confortar a esposa ainda no hospital, e ainda ganhar medalha de ouro em uma competição de ciclismo para amputados anos mais tarde.

Alguns, perante a adversidade, se encolhem a uma fração do que realmente são, e soçobram aos problemas, às dificuldades, às angústias. Outros, sem se importar com as dificuldades, resolvem, escolhem ir em frente e mudar a realidade que se lhes apresenta. Ou seja, tomar a mais sábia decisão, a de ser feliz. A despeito de…, sem se importar com

Nenhum comentário:

Postar um comentário