segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Confiança e credibilidade: valores inalienáveis

"Há pessoas que estão sempre atribuindo às circunstâncias aquilo que são. Não acredito nas circunstâncias. As pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, se não as encontram, as criam." 
George Bernard Shaw

Numa fase difícil, chamei uma funcionária de minha equipe e fiz um pedido, reconheço, difícil. E ela perguntou:

-- Por que está me pedindo isso?

Naquele momento, a resposta seria vazia. Respondi, então:

-- Eu preciso. Confie em mim.

E ela, me olhando nos olhos, com o olhar brilhante:

-- Ok! Eu confio.

E foi embora, em paz consigo mesma, para meu espanto.

Tempos depois, conversando sobre o fato, ela me explicou: nunca me vira colocar ninguém em má situação. Ao contrário, eu costumava mais era tirar as pessoas de situações ruins. Então, minha história, segundo ela, afiançava meu pedido.

Nesse momento, bateu o sentido da responsabilidade. pelo bem ou pelo mal, temos responsabilidades com pessoas ao nosso redor. Ela confiou, e eu podia estar errado. Mas ela confiou.

Nunca fui de fugir de responsabilidades. Nem de dizer amenidades para agradar, seja lá quem for. Mas, nesse dia, o peso bateu muito forte, porque ela confiou em mim e foi, como quem vai a um piquenique. Mas poderia ser um cadafalso.

Lideramos, às vezes, raramente, sempre, mas lideramos, em alguns momentos da vida. E a liderança tem seu preço: o futuro de pessoas. Quando dizemos que faremos, precisamos fazer. Precisamos de transparência, clareza, verdade. Precisamos ser o que gostaríamos que fossem conosco. Precisamos ser o ideal de nossa vida. Porque, embora alguns não liguem, há pessoas envolvidas…

E, mesmo se não liderássemos, sem pre há alguém que deposita em nós alguma confiança. Pode ser toda, alguma, muita. Mas confiança é um tesouro que não se pode desperdiçar. Quantos nos magoam simplesmente pela quebra dessa tal de confiança?

Então, é um compromisso. Assim como no caso de minha amiga, é mais que compromisso: é a expressão da verdade, que, esperamos, impere. Eu imagino se o resultado tivesse sido outro. Para mim, poderia ser a mesma coisa. Mas não seria, pela importância que dou às pessoas.

E, mais: minha credibilidade e a confiança resultante são os únicos bens que tenho. Assim, ao menos de forma bem egoísta, não me permitiria ser assim. Mas prefiro pensar que é um ato de altruísmo. Prefiro pensar…

Nenhum comentário:

Postar um comentário