sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Renúncias nossas de cada dia

http://www.sxc.hu/pic/m/b/bu/burnin_dog/610719_decisions_decisions_decisions___.jpg Com a vida atribulada e corrida que vivemos, passamos cada vez menos tempo focados em nossos próprios problemas. E é justamente por isso que estamos sempre com o guarda-roupa por arrumar, as gavetas por limpar, telefones por fazer. E cansados, ávidos por recuperar minutos de sono, achando que isso levará embora aquela sensação de peso que sempre enfrentamos.

Algumas coisas têm prioridade. Limpeza, higiene pessoal, contatos inadiáveis, presentes de aniversários. e acabamos espremendo tudo isso junto às nossas escolhas, sempre as escolhas, que deixam milhões de coisas para trás.

Nossas escolhas nos fazem renunciar a algumas coisas, umas imperceptíveis, mas todas com um preço. Que são cobrados, cedo ou tarde.

Renunciamos de participar das decisões de condomínio, que afetam diretamente nossas vidas. E, por extensão, votamos em algumas pessoas que vão decidir nossas vidas, esquecemos-nos delas, para depois reclamar da vida no condomínio e dos problemas “políticos”.

Renunciamos a atividades físicas, e brigamos com a balança e com o médico, o portador das más notícias. “Mate o mensageiro”. Colocamos nossa saúde abaixo de questões sociais, familiares, profissionais. E esquecemos que somente vivos é que estamos em sociedade, em família e ocupados profissionalmente.

Renunciamos a conversas em família, assim como decidimos que não temos paciência para algumas coisas, mesmo que seja quase todas as coisas. E, como as conversas são demoradas, tomam tempo e consomem energia, ao menos aquelas conversas sérias, escolhemos ter somente as conversas de bar, as conversas descontraídas, sem compromisso, regadas a bebidas tantas.

E, no esteio de tantas renúncias, escolhemos, por ação ou omissão, que nossa vida se baseia somente no imediato, nas urgências e emergências, inclusive médicas, mas não exclusivamente.

E reclamamos que nossas vidas estão fora de nosso controle. Um pouco de coragem, um pouco de ousadia, uma decisão e muita determinação, é do que estamos precisando…

Nenhum comentário:

Postar um comentário