terça-feira, 12 de maio de 2009

O homem é reflexo do meio. Ou o meio…

O cidadão vota, no Brasil, porque é obrigatório. É de se concluir que ele vota de boa vontade?

Se não fosse obrigatório votar, quantos realmente iriam às urnas? Ficaria muito mais patente que, na verdade, ninguém se interesse pelo processo eleitoral. Quer mais é votar para se ver livre da obrigação, para poder fazer seu churrasco, para poder ir logo para a praia.

O eleito? Ora, isso é outra história.

O cidadão, pela falta de compromisso com o voto, não se sente incomodado pelos escândalos dos “eleitos”. não é culpa dele, mesmo. Quem elegeu Mateus que vá embalá-lo.

A falta de reação popular aos escândalos dos cortesãos é, no mínimo, sintoma de que nossa democracia é mesmo para inglês ver. E que, se nem nas reuniões de condomínio a presença é garantida, o condomínio Brasil, então, nem mereceria nota, se não fosse pela obrigatoriedade.

A opinião pública não é senão a publicada. Esta, sim, orientando aquela, na massa possível. Porque parte dessa massa está totalmente insensível às brisas do mundo.

Pesquisa recente indicou que a grande maioria dos brasileiros faria a mesma coisa que estão fazendo deputados, senadores e outros políticos. Sendo assim, razão não há para indignação. Senão pelo fato de que a boquinha é somente para alguns.

Não é de surpreender. Se “farinha pouca, meu pirão primeiro” é a versão atual da lei de Gérson, o brasileiro está mesmo muito bem representado.

Pelé não estava certo. Não é que brasileiro não saiba votar. O brasileiro não quer votar.

Um comentário:

  1. Dizem que aqui no Brasil vivemos numa democracia, contudo, o diddão ainda é obrigado a votar. E a cerca deste fatos costmo sempre dizer que, se não fossemos obrigado a votar, possuvelmente muitos políticos que ai estão não elegeriam. e isto é fato.
    RCarvalho

    ResponderExcluir