sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Um pequeno segredo

É muito fácil.

Quando as coisas dão errado, é muito mais fácil culpar. Outras pessoas, circunstâncias, mercado, tempo ...

É muito fácil enxergar no outro os defeitos. É fácil achar que ele não nos ouve, e dizer a ele, mesmo que para isto não o deixemos falar.

Calamos-nos ao que nos parece errado, porque não tem remédio mesmo. Deixamos de falar, porque podemos machucar alguém. Deixamos de agir, porque uma gota no oceano não faz diferença.

Não amamos mais, porque esperamos ser amados. Não beijamos, não abraçamos, não acariciamos, porque esperamos primeiro receber, como se estas coisas fizessem parte de uma troca. Não fazem. Elas são demonstrações absolutas, não relativas. Não dependem de recebermos. Temos beijos e abraços aos montes em nossos corações. Nunca se esgotam. E essas coisas existem unicamente para serem doadas. Sem esperar nada em troca.

Não ouvimos, pois nossa vontade de que sejamos ouvidos nos torna surdos.

Não falamos, porque esperamos que nos falem.

Não agimos mais, esperando que alguém o faça. Queremos somente reagir. Mas sem ação não há reação. Não há interação, não há relação.

É muito fácil, fácil demais, achar que o tempo cura tudo. É fácil e cômodo. Se não der certo, mudamos. Esperamos. Um dia o tempo acerta.

É fácil, mas não resolve. Nosso coração é elástico, cabem nele muito mais coisas que imaginamos. Cabe mais compreensão, cabe mais perdão, cabe mais amor, e nem sabemos disto. Cabe tudo quanto precisamos para sermos mais felizes. E o segredo é tão simples, tão banal, tão mais fácil, que dói saber que não fazemos isto mais vezes: o segredo da felicidade está em fazer outras pessoas felizes. Cada sorriso, cada riso, cada lágrima de felicidade, cada suspiro de alívio, cada olhar para os céus ... Cada uma dessas coisas ilumina mais um pouquinho nossa vida.

Mas é difícil, muito difícil acreditarmos nisto. Estamos muito ocupados tentando moldar o mundo à nossa maneira, fazer com que todos reajam como nós reagiríamos. Estamos ocupadíssimos tentando convencer o mundo de que estamos certos, e nossa briga com o mundo não nos deixa em paz para que possamos encontrar aquelas pequenas coisas que podem nos tornar felizes.

Façamos, então, o mais fácil: que nosso coração se abra, que o amor tome conta dele. Que nossas respostas sejam sempre cheias de amor, de carinho, de compreensão. Que as nossas ações sejam-sempre cheias de bondade, e o amor se espalhará, entre todos aqueles que nos rodeiam. Colaboremos para a felicidade de uma única pessoa por dia, e logo a felicidade estará em mais corações, mais sorrisos surgirão, mais ações, mais vontade e capacidade de ouvir, mais disposição para entender. Mais espaço para amar. Mais espaço para ser amado. Assim é que é verdadeiramente mais fácil.

Amar, honesta e verdadeiramente, a todos e a alguém especial: como é fácil ser feliz!

Um comentário:

  1. Bonne journée mon doux amour ; )27 de fevereiro de 2009 13:05

    Meu pequeno segredo pode ser traduzido em muitos idiomas... Ek is lief vir jou! Te dua! Ich liebe Dich! Ohiboka! Ngo oi ney! S'ayapo! Ik hou van jou! Szeretlek te`ged! Ai shiteiru! Kulo tresno! Te amo! Bahibak! Wo ai ni! Eg elskar deg! Doo-set daaram! Eu te amo! Amo-te! Ya tebya liubliu! Jag a"lskar dig! miluji te! Seni Seviyorum! Toi yeu em! Mena Tanda Wena! Yes kez sirumen! Obicham te! Ngo oi ney! Dangsinul saranghee yo! Jeg elsker dig! lubim ta! Te amo! Mi amas vin!Mina" rakastan sinua! Je t'aime! Ani ohevet otcha! Ik hou van jou! Szeretlek te`ged! I love you! Ja te volim! Mahn doostaht doh-rahm! ti amo! Eu te amo!

    ResponderExcluir