quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

São Pedro e planejamento estatégico

Eu tinha um texto pronto para publicar quando São Pedro errasse a mão e mandasse mais chuva que o necessário, falando de planejamento estratégico, gestão, governança. Mas a tragédia de Santa Catarina me calou, não é assunto para brincadeiras. Mas é preciso dizer algo. Se São Pedro não pode regular as chuvas, precisaríamos ter medidas para que as conseqüências não fossem tão nefastas.

Construir casas em encontas parece ser um atalho à tragédia, como andam insinuando algumas reportagens. Mas parece-me que as pessoas não o fazem por gostar do perigo, senão por necessidade pura. Maslow nos ensina que precisamos satisfazer as necessidades básicas, e este ditado parece explicar o problema:

- Qualquer porto, numa tempestade!

Se a família não tem outra condição, vai para onde? Exatamente, para a encosta. Que pode culpálos pela escolha (ou pela falta dela)?

O problema, sem qualquer oportunismo de crítica, é mais, muito mais social que podemos pensar. Nossas políticas públicas, infelizmente, não se ocupam disso.

Enfim, São Pedro é inatingível. Mas nossos governantes não. Espero que um dia se ocupem disto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário