quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Dura lex, sed latex

Pros pobres, é dura lex, sed lex: a lei é dura, mas é lei. Pros ricos, dura lex, sed latex: a lei é dura, mas estica.

Fernando Sabino

 

No meio dessa confusão econômica mundial, já li várias vezes nomes de grandes empresas: Citibank, General Motors, JP Morgan, e por aí vai. Em manchetes, todos recebendo ou pedindo dinheiro. Ao/do governo, claro. Ainda não vi, uma vez sequer, Joe, o Encanador, nas manchetes (Joe foi o personagem utilizado pelo candidato derrotado McCain para personificar o americano). Pois bem, ele existe, e aos milhões.

Enquanto essas empresas socorridas pelo governo recebem seus bilhões de dólares que fariam corar nosso PROER, seus dirigentes continuam intocados, com seus milhões de dólares de bônus recebidos pelos serviços prestados. Intocados pois ainda andam em seus helicópteros ou jatinhos, e suas Mercedes descansam em paz nas garagens das mansões. Mas os joes americanos (e outros pelo mundo, inclusive no Brasil) não têm a mesma sorte: sua casa foi tomada (motivo da crise: financiamentos hipotecários. as pessoas físicas perderam suas residências, as pessoas jurídicas receberam dinheiro do governo). Ao mesmo tempo, enquanto a crise se alastra e atinge a produção de automóveis, mais e mais pessoas físicas, atingidas pela mesmíssima crise, com dificuldades para pagar seus financiamentos, receberam também dinheiro do governo para honrá-los. Espere aí… Não, não receberam. Continuaram quebrados, e estão tendo seus carros arrestados. Obama está protelando o auxílio às montadoras, mas ele virá. Já aos donos dos carros…

No Brasil, tente abrir ou fechar uma empresa. Os regulamentos são muitos, e rigorosos: não há exceções. Exceto…

Antes: você já teve problemas com a Receita Federal? Ou com o IPTU? O presidente da república ou o prefeito de sua cidade receberam você em audiência para ouvir suas queixas? Ajudaram?

Felipão, o ex-técnico da seleção canarinho (nossa, que coisa velha!!!), foi visitar Lula. Cortesia? Não, problemas a Receita. Pediu uma ajudinha. Será que influenciado pelo exemplo que deu nosso governo, ao articular mudanças na lei para a operação Oi-Telemar-Brasil Telecom? Os mortais, ao abrirem aquela empresa lá de cima, são engessados pelas leis e regulamentos. Os mais-que-mortais recebem mudanças nas leis que os atrapalham… mas peça uma audiência para pedir ajuda…

No Brasil, pessoas já estão devolvendo automóveis financiados. A crise, aquela marolinha, já tem surfista se aproveitando dela. Mas como Joe, o encanador, não merece manchetes, não nos preocupemos com ele. Preocupemos-nos com os dirigentes/governantes que permitiram que essa crise se instalasse. Pobrezinhos, devem estar tão preocupados…

Nenhum comentário:

Postar um comentário