quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Caetaneando

Na hora da necessidade, como, por exemplo, num assalto, invocamos o auxílio de todos e qualquer um que passe. Mas, geralmente, nos é negado, exceto pela solidariedade muda e escondida que provoca. Evocamos nossos nossos protetores e nossos momentos, nossa vida, que, tal qual filme, passa-nos pela mente. Daí, quando percebemos que não nos resta escolha, resolvemos enfrentar a besta. Avoquei essa responsabilidade, e o convoquei para a briga. Provocamos, xingamos, ofendemos, blefamos. Esperando que a besta acredite…

Estávamos num daqueles devaneios em que a discussão já é só pelo esporte, quando veio a dúvida cruel, que nos tiraria horas de sono: qual a diferença entre invocar, provocar e provocar?

Segundo o Houaiss:

  • invocar: chamar em auxílio, pedir a proteção de (falando geralmente. de seres ou forças divinas, sobrenaturais); suplicar; pedir auxílio, assistência; recorrer
  • evocarchamar (algo, sobrenatural), fazendo com que apareça; tornar (algo) presente pelo exercício da memória e/ou da imaginação; lembrar
  • provocar: forçar (alguém) a responder a um desafio; desafiar; tentar despertar em (alguém) a vontade de fazer (algo); convidar, incitar, desafiar; impelir alguém) a (algo); estimular, incitar, instigar
  • avocar: chamar, invocar; chamar a si, fazer vir; atrair a si; aliciar; atribuir a si; arrogar-se.
  • convocar: chamar para determinada reunião ou ato coletivo; mandar comparecer.

 

Como foi possível vivermos até hoje sem isso?

2 comentários:

  1. Update em 2/10, 21h.
    Alguém me lembrou sobre AVOCAR, aproveitei e incluí também o CONVOCAR...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Renato.
    Aqui no sul me deparei com a utilização por excesso da palavra aviamento. Fiquei com uma baita interrogação na cabeça e corri para o Aurélio. Fiquei impressionado com a quantidade de significados que ignorava.
    Sobre o título caetanando ou gilbertando?
    dig

    ResponderExcluir