quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Zappeando

Sobre os Grampos e algemas

Abusos existem aos montes no Brasil. Mas somente de pois que o episódio dos grampos aborreceu alguém "importante" é que a discussão começou. E traz à tona o que sabíamos: saímos de uma ditadura militar para entrar em outra, civil. Falta a tortura escancarada (não, não faz falta, não). Mas outras formas mais brandas ocuparam seu lugar. A história das algemas é a mesma. Era não só a algema, mas a mão do agente virando o rosto do "bandido" para a câmera. Quando o "bandido" tem prestígio, não pode.

Eleições

Propaganda de hoje do debate na Band, nos jornais, mostra um par de luvas de Box em primeiro plano. Lembrei daqueles episódios de filmes americanos em que se anuncia uma briga depois das aulas. E todo mundo vai ver o massacre. Não, ninguém preocupado em apartar nada. O sangue jorrando, é o que querem.

Esse debate não deveria ser de idéias? E não é com pessoas que vão representar o povo, exercer o poder em seu nome? Estamos querendo que estraçalhe alguém para que se mostre digno disso? Acho que não.

Ainda sobre eleições

Numa empresa, o gestor seria avaliado assim: diminuiu as despesas administrativas? Aumentou as vendas? Otimizou os lucros? Enfim, a avaliação é baseada nos critérios objetivos, naqueles que fundamentam a própria existências da empresa.

E nas eleições? De que precisamos na cidade, por exemplo? Só para exercitar a imaginação:

  • Diminuição do índice de criminalidade;
  • Diminuição do tempo de atendimento nos hospitais públicos;
  • Aumento das áreas com esgoto;
  • Aumento da oferta de transporte coletivo;
  • ... e por aí vai.

Mas é preciso ter números. O índice de criminalidade está em X, vamos reduzi-lo em Y%. À vista de um número real, e com critérios de medição objetivos, pode-se avaliar o atingimento de metas. A aí acaba com esse blá-blá-blá de "eu fiz isto...", "eu fiz aquilo...".

Um bom exemplo pé o IDH. O IDH do Brasil é 0,800. Aumentá-lo para 0,820 seria um avanço enorme, porque representaria melhora nas condições de ensino, saúde, renda. Não é uma boa medida? Mas o blá-blá-blá dá mais Ibope.

Um comentário:

  1. Poxa, desse jeito vc vai querer que viremos primeiro mundo ? Sabe o que mais está me assustando com as propagandas elitorais? a enorme quantidade de jovens que querem se eleger, tudo em nome da moralidade e da ética. será ?
    dig

    ResponderExcluir