domingo, 17 de agosto de 2008

Serviço de primeira

O vôo foi na empresa que é bola na rede. Atrasou para chegar, atrasou para sair. A aterrissagem, como sempre, um espanto. Parecia um tijolo arremessado, alías, côo sempre. Descemos longe dos fingers, incrível para a ponte aérea. O negócio era ir de ônibus. E as malas demoraram, e muito. Quando chegaram, vieram de conta-gotas. Pelos vidros, víamos os funcionários "trabalhando". Entretidos com uma conversa lá qualquer, aproveitavam alguns intervalos para colocar mais uma mala na esteira. Na saída, um funcionário conferia, burocraticamente, as bagagens. Sem sequer olhar o dono.

Conclusão: atrasos, falta de perícia, falta de atenção aos passageiros. Voa quem precisa. Quem escolhe, foge.

Nenhum comentário:

Postar um comentário