segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Liderança e Gerência

No mundo profissional, há uma grande confusão conceitual entre o que é liderança e o que é gerência. Vou propor mais um ingrediente: o que é chefia.

O chefe: é aquele que manda. Vale-se do cargo para ser obedecido. Não tem outra preocupação senão a de se desincumbir, através do comandado, da tarefa a ser feita. Ele pode até ter o cargo de gerente. Mas se sua preocupação se centra somente na tarefa, ele é um chefe. Convém não contrariá-lo. Normalmente é inseguro, por acreditar que seu poder se origina na capacidade de ser obedecido. Não tem equipe, embora tenha pessoas que devem obedecê-lo.
O Gerente: é aquele que tem o cargo com esse nome, é verdade. Ao contrário do chefe, no entanto, ele se preocupa com a tarefa, mas tem outras preocupações: a motivação do funcionário, o ambiente de trabalho, as metas de médio e longo prazo, as conseqüências da ações imediatas. Ele se porta de forma situacional, ora enfatizando a tarefa, ora os relacionamentos, ora holisticamente adotando medidas de equilíbrio. Procura sempre aliar metas de produtividade com indicadores de qualidade de relacionamento e crescimento pessoal de sua equipe. Normalmente o gerente bem sucedido é seguro de si, pois vincula seu valor à capacidade de atingir às metas propostas com base no trabalho integrado de sua equipe.
O líder: este é qualquer um que consiga mobilizar as pessoas na direção de sua visão. Não precisa se impor, e não precisa ter um cargo. Pode mesmo ser a pessoa na última posição da hierarquia. Mas consegue vender suas idéias a todos, seja com palavras, com entusiasmo, ou pelo exemplo. É consultado pelos colegas e pelos superiores. Tem influência sobre pessoas (algumas, muitas ou somente as pessoas-chave) e através delas é que manifesta seu poder. Normalmente associamos a palavra "líder" a uma coisa boa, positiva, mas nem sempre é assim. Às vezes o líder é o que, ao manifestar seu poder, acarreta problemas.
A chefia é a manifestação de um poder. A gerência é o exercício de uma capacidade. E a liderança é um processo de influência. A liderança ideal se afigura como um papel, a ser desempenhado pelo gerente (de qualquer nível). A associação da atribuição (gerência) com o papel (liderança) produz os melhores resultados em qualquer lugar.

O gerente quando é um líder tem uma equipe que o segue, mais que o obedece. Ele consegue manter as pessoas motivadas pelas palavras, pelo comportamento, pelo exemplo. E, mais que exercer seu cargo, influencia as pessoas. No sentido daquelas metas acordadas, negociadas e aceitas. É a própria concretização daquela máxima de administração: "atingir os objetivos através das pessoas".

2 comentários: