domingo, 29 de junho de 2008

Não é mágica, mas é quase

Quer ver uma pessoa se iluminar? Seja gentil. Seja atencioso. Mostre interesse, mas esteja interessado. Ajude. Ofereça. Oferte. Mas não espera nada em troca. Apenas seja.

O universo parece ter planos definidos para quem convive. Porque conviver é diferente de viver. É viver com outras pessoas. Mas essa convivência pode ser estéril. Ou pode ser uma fonte de luz.

Quem é que tem maior poder de atrais pessoas? São aquelas que sorriem, que são gentis, que nos tratam bem. E aquelas que vivem de mau humor, que mal nos olham, que se isolam? Essas, muitas vezes, evitamos.

É tão fácil ser agradável. É tão mais simples. Viver às turras consome tanta energia. E gera tanta energia negativa como resposta! Ser agradável é uma escolha. Como ser desagradável, ou inerte. Nós escolhemos.

Houve um tempo em minha vida que eu me entregava aos problemas. Eles me dominavam, e imperavam sobre meu humor. Tempos difíceis. Mas passados, felizmente. Um dia, no meio de uma crise, resolvi sorrir. No início, sorriso amarelado, forçado. Evoluiu. Transformou-se num sorriso espontâneo. Do tipo que diz: - o que não tem remédio, remediado está. E passou a contaminar o resto de mim. As reações corporais. A mente. E passou a ser um hábito. Uma escolha. Uma opção de vida.

Hoje, as dificuldades são encaradas sob um lado mais otimista. - O que eu aprendo com isto? Sem fugir do problema, mas sem deixar que ele me assombre. Não. Eu estou no comando. Eu resolvo o que mexe comigo. E, se isto for mexer comigo, que seja pelo lado bom.

Um dia, no meio de uma crise, um amigo me falou:

- Quando cair, caia para frente. Assim, você ganha alguns metros à frente ao se levantar.

Sábias palavras, imediatamente assimiladas. Mas é uma escolha, sempre é uma escolha.

Qual é sua escolha?

Nenhum comentário:

Postar um comentário