terça-feira, 10 de junho de 2008

Motivos

Nossas metas são nosso combustível. É a mola que nos impulsiona, é o que nos faz levantar de manhã para enfrentar, peito aberto, o mundo. Mas a meta não é nada se não se traduzir em pessoas. Nossos objetivos, se totalmente pessoais, não passam de vontades. Quando envolvem pessoas, entretanto, são motivo, combustível, honra, desejo. São nossos próximos passos.

A vida é vazia se, gregários que somos, estivermos em isolamento. E é rica e florida se contarmos com companhias. E, neste caso, não importa o carro, os bens, a conta no banco. Interessa o sorriso, a felicidade, a alegria da companhia. Tudo aquilo que o dinheiro não pode comprar.

A atenção, o carinho, a demonstração de ternura, estas riquezas imensuráveis são os motivos de nossas vidas. Ao menos, da minha. E, se vou devagar com o andor que o Santo é de barro, vou devagar e sempre. Porque não tenho pressa. Minha hora chegará, e eu chegarei lá.

A música abaixo é: "quem quer viver para sempre"?

Minha resposta é: e precisa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário