sexta-feira, 13 de junho de 2008

Fugas

Impressionou o mundo nazista que o cercava a calma de Viktor Frankl. Enquanto seus amigos estavam sendo vítimas das mais tristes histórias da humanidade, ele conseguia extrapolar o sentimento e ficar alheio, tanto quanto possível, do massacre do povo judeu.

E ele tinha o segredo para tanto: estar no controle de sua mente, de suas emoções, de suas respostas. Conseguia, em meio a tanto sentimento negativo, enxergar o lado positivo, é surpreendente que ele o achasse no meio do Holocausto.

Esse "segredo", que não é segredo, é somente uma coisa que não se faz, não tem nada de misterioso. Podemos escolher o que se passa pela nossa mente, e decidir em que focar. Assim, Frankl passou a ser admirado por outros prisioneiros e até mesmo pelos guardas. Criador da logoterapia, venceu a mais terrível das adversidades: a falta de horizontes.

Enfrentou seus medos, desenhou suas idéias, venceu seus demônio interiores. nos dá uma lição de vida, isto, é, a dá a quem se dispõe a desfrutá-la.

Um dia, decidi pensar nas coisas boas como inspiração. nas ruins como aprendizado, mas sem me deixar contaminar. E, nas coisas boas, penso, claro, em pessoas. Que, como Frankl, trazem aprendizados. E eu quero desfrutá-los.

Elvis Presley canta melhor o que tento, sofregamente, digitar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário