terça-feira, 3 de junho de 2008

Amigos: é preciso manter contato

Ontem soube que perdi um amigo. Que, no início, era um grande desafeto. Trabalhamos juntos, e nossa história não começou bem. Pois eu ainda era jovem demais, o mundo ainda era meu, e acho que perdi uma chance de tê-lo mais perto mais cedo.

Uma das piores coisas com que me deparo é essa perda de pessoas. Quando a ruptura é causada pelo falecimento, só temos a lamentar. Mas quando perdemos pessoas por causa de nossa vida, de nossa correria, de nossa preguiça, temos também de lamentar, mas ainda temos tempo de corrigir.

Já escrevi neste espaço sobre a visita que faço a parentes que moram em outras cidades, aproveitando minhas passagens ocasionais. Visitas que duram dez, quinze minutos. Que se resumem, basicamente, a um beijo, um abraço, perguntas e respostas confusas sobre como estão todos. Mais um beijo e um abraço, e estou de novo na estrada.

De vez em quando, chamo amigos para jantar. Para um chopp, para uma conversa, mesmo que rápida, somente para mantermos esse contato. Os amigos casados nunca podem, principalmente se tiverem filhos. Os solteiros às vezes podem, se as atuais paqueras permitirem. As amigas, estas se enchem de dúvidas: qual será a intenção? Outras, que já me conhecem, sabem: vamos conversar bastante, e vou sumir por um bom tempo, pois esta é minha vida.

O motivo é este mesmo: não perder contato. Trocarmos impressões, atualizarmos nossa história. Vermos um ao outro. Regar a amizade, em tempos de falta de água para esse fim. Que nossa convergência tenha sido aleatória, mas não permito que a vida nos separe. A não ser que deva ser assim... mas nunca deve ser assim.

Ao meu amigo, que os anos trataram de me mostrar quão boa gente era, hoje farei um brinde. Especial, lembrando de nossas histórias, e tenho muitas. Lamentando não ter me despedido, mas festejando o fato de guardar dele uma última imagem muito, muito em paz.

E hoje me concentrarei novamente: quem são os amigos a quem estou devendo um convite? Vamos reparar isto.

Vida eterna, Hélio.

Milton nascimento - Amigo

Um comentário:

  1. Muito lindo esse texto, Renato. Pura verdade e penso exatamente como você. Mas nem sempre posso, ou tenho oportunidades de regar minhas amizades. Faço o que posso através de PPS, ou contatos virtuais. Um grande abraço. ML

    ResponderExcluir