domingo, 25 de maio de 2008

Liderança

Quando chegávamos em alguma unidade de nossa empresa, procurávamos identificar logo: quem é que influencia quem? Muitas vezes, o contínuo tinha mais poder que o gerente geral. E isto determinava nossas ações naquela unidade.

A liderança é um papel, exercido muitas vezes desatrelado de um cargo. É aquele comportamento de uma pessoa que, pelo caráter, carisma, conhecimento etc., influenciam outras pessoas no caminho apontado por ele.

Essas características são sempre positivas. Sua personalidade é envolvente, a pessoa é convincente, sua fala é hipnótica. As características negativas (imposição, força, coerção) não geram liderança, geram submissão. Que é uma adesão imposta, não aquela voluntária e desejada gerada pela liderança.

Se as características do líder são positivas nesse sentido, não são necessariamente utilizadas para o caminho certo. Alguém tem dúvida de que Hitler era um líder? A despeito de ser um tirano para alguns (poucos), era um líder para seus (muitos) seguidores. Sim, era um líder. Mas alguém tem dúvida de que seus motivos eram errados? Acho que poucos.

NO caso de Hitler, ele era um líder com um "cargo" com uma posição que lhe reforçava a liderança. Há casos em que isto não precisa acontecer. Há aqueles casos daquelas pessoas que, carismáticas, inteligentes, comprometidas, têm seguidores em seus idéias mesmo sem ter nenhum tipo de cargo. São líderes de fato, não de direito.

O líder utiliza sua credibilidade e seu conhecimento para gerar respeito. Esse respeito garante audiência, ou seja, pessoas o ouvem e acreditam nele. É uma relação sempre de confiança, nunca de força ou de submissão. Por isto, quando o gerente é líder de fato, o cargo importa pouco. A credibilidade e a confiança é que determinam a relação.

Os líderes, na verdade, são pessoas especiais, que conseguem concretizar aquela máxima da administração de recursos humanos: atingir os objetivos com a participação das pessoas. Não subornando-as, não obrigando-as, mas convencendo-as.

Precisamos de mais líderes e de menos chefes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário