terça-feira, 6 de maio de 2008

Days of our lives

O que não tem remédio, remediado está.

Este ditado, por clichê que pareça (ou seja) está coberto de razão. Algumas vezes combatemos fantasmas, simples sombras, mesmo sabendo que não há contra o que lutar. Exceto os fatos.

Tenho um amigo que diz que contra fatos não há argumentos, invertendo a lógica da argumentação. Mas ele, graduado em Brasília, sabe do que fala. Contra argumentos, não há fatos. Nossa decisão influi em nossa decisão, ensina ele e confirma a corte.

Estou em outro nível. falo de nossas percepções pessoais, que nos levam a querer acreditar em coisas que ali não estão. E sabemos que não estão. Mas, de forma consciente ou inconsciente, não queremos aceitar. E trilhamos o caminho da pior mentira, aquele em que queremos acreditar.

Isto nunca dá certo. Por mais que afirme qualquer manual de auto-ajuda. Precisamos acreditar na verdade, e isto é uma escolha. A questão é: em que quero acreditar? Escolho minha verdade, ou vivo minhas mentiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário