sábado, 26 de janeiro de 2008

Reciclando

Por força da legislação, fiz o Curso de Reciclagem para Renovação da Carteira Nacional de Habilitação.

Três dias, quatro horas e dez minutos por dia. Ao final, uma prova, neste caso protocolar, pois a presença no curso já garante a aprovação. Quem quiser pode fazer a prova, sem assistir às aulas. Não foi o meu caso.

No primeiro dia, os "alunos" estavam naquele desfile de reclamações contra o "sistema". Ao final do curso, muito haviam mudado de opinião. O curso é realmente muito interessante, com conteúdo. E cumpre seu papel.

Às vezes o faz chocando. Com cenas fortes, de acidentes com vítimas, expondo claramente o sangue, os corpos, e explorando emocionalmente os depoimentos dos familiares. Acredito que o choque seja necessário e útil, atinge seus objetivos.

No decorrer do curso, abordagens necessárias: um revival do significado dos sinais, a apresentação de novos conceitos do código de trânsito, histórias reais, primeiros socorros.

Como disse, ao final, depois de mais de doze horas de dedicação, aprendemos muito. Várias das informações são novas, muitas novidades, várias surpresas. Mas a informação é o de menos. Qualquer consulta à internet poderia cumprir esse objetivo. O diferencial é a formação. Formação que acontece pela conscientização, pelo conhecimento de condições e circunstâncias. E, neste particular, o da conscientização, uma atuação fundamental: a do instrutor. Leve, ágil, criativo, bem humorado, transformou o que poderia ser uma atividade enfadonha em sessões bem divertidas.

Ao final, uma constatação: é sério esse curso. Recomendo que todos o façam, mais pelos resultados que pelo processo protocolar. A conscientização é importante e não acontece pela prova direta, simplesmente.

O Brasil caminha em direção às boas práticas. Vamos junto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário