quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Nosso amigo tucano

Certa vez, numa viagem com minha filha, vimos um tucano atravessar a pista, bem na nossa frente. Bem quando passávamos. Ela, pequena, ficou maravilhada. Eu, já não tão pequeno, fiquei também.

Na volta dessa viagem, vimos um outro, mais ou menos no menos lugar. Fantasiamos que era o mesmo. E nos divertimos, felizes com nosso non-sense.

Pouco tempo depois, em outra estrada, outra vez um tucano. Mas, em vez de um, vimos o nosso. E nos divertimos mais, felizes com o reencontro improvável.

Desde então, em nossas viagens, procuramos nosso amigo. Que vem, nos lugares mais inesperados.E, cada vez que aparecem, têm o condão de arrancar sorrisos dos mais escancarados, Seguidos, claro, por alegria pura.

Uma alegria natural. Maseada na falsa premissa de que é sempre o mesmo tucano. mas poderia ser mesmo. E é, em nossas fantasias. E as usamos para, acumpliciados, montar nosso próprio conto de fadas.

De vez em quando, chego em casa e pergunto à ela: - adivinhe quem eu vi hoje?

- O tucano...

Nenhum comentário:

Postar um comentário