quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

O bode

No texto de Marina Colasanti aqui, uma demonstração de como nos acomodamos com as coisas da vida. É certo.

Nos últimos dias, São Paulo tem tido movimento de carros extraordinário. Grandes congestionamentos, motivado pelas compras de natal (dizem).

Em meses anteriores, qualquer parada na chegada da Rodovia dos Bandeirantes era um mau sinal. Nos últimos dias, o normal é ter o trânsito lento (muito) por dez quilômetros.

Aqui, o ponto em que nos acostumamos. Surpreendi-me, nestes dias, feliz ao saber que tinha três quilômetros de congestionamento. E encarei, leve, leve, aqueles longos vinte e cinco minutos necessários para vencer esse trecho.

Acostumei-me com o bode na sala! Precisamos matar o bode. Que está pagando o pato...

Nenhum comentário:

Postar um comentário