sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Caiu?

Não, foi um afastamento estratégico. Ainda não caiu. Será que vai?

Eliane Cantanhede na Folha de São Paulo afirmou que ele não reassume a presidência do senado, por falta de condições. Vou torcer para que ela tenha razão.

Afastou-se porque deteriorou-se o apoio político que ele tinha. Ou seja, se os senadores quisessem podiam tê-lo cassado na primeira votação. Não o fizeram.

Senadores acharam que ter as despesas pagas por uma empreiteira não quebra o decoro. Apoiavam abertamente (seu grupo de apoio) as afirmações do Grande Líder. Agora, que o GL resolveu espionar a chantagear os demais colegas (segundo as notícias da imprensa), seu apoio esvaiu-se.

Quer dizer, os senadores não tiveram problemas em aceitar o primeiro comportamento. Mas o segundo, que mexeu diretamente com eles, foi demais. Até seus aliados debandaram. O senado da república é corporativista, estamental e hipócrita.

Vai soltar? Espero que não. Espero que ele seja cassado, e que volte ao seu estado natal. E que lá seus eleitores tenham a coragem de puni-lo pelos excessos. Mas também espero que acabe a fome no mundo, e este é um pedido mais realista que o primeiro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário