sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Exemplos

Quando fomos crianças, muitas das ações de nossos pais se impregnaram de tal em forma em nós que se transformaram em hábitos e valores. Até hoje, maneirismos de falar, crenças e credos deles ainda fazem parte de nossas vidas.

Com nossos filhos, igualmente, procuramos mostrar os caminhos, as coisas boas, dar bons exemplos, para que esse modo de agir possa ser um referencial de vida para os pequenos.

Angelina Jolie faz uma peregrinação pelo mundo com sua mensagem humanitária, dando um exemplo à humanidade que pretende ver seguido.

A maior liderança que existe é a exercida pelo exemplo. Um bom exemplo é melhor que um ótimo conselho. "Faça o que eu faço" é uma mensagem fortíssima, muito mais que o "faça o que eu digo".

Pois bem, o que dizer do presidente de um país que não encara os problemas? Que busca em devaneios fúteis explicações e fugas daquilo que lhe compete fazer e não é feito? de um presidente que diz que ler é chato?

Não é um problema de preconceito (meu, acho). Mas o recado que a nação tem recebido é uma afronta. Pessoas que se mobilizaram para uma grande chantagem são alprados, esses meninos. Mensaleiros cometeram erros, não crimes. Aliás, nada resta provado, segundo o presidente, nesta sua fase de telhado de vidro. Agora, com Renan Calheiros, presta solidariedade a uma pessoa claramente enrolada em explicações (?) mal ambasadas e cheias de buracos.

Quando Ayrton Senna morreu, morreu um herói. O que é um herói? No caso de Senna, uma pessoa genial, com gana suficiente para superações pessoais. O que fazia Senna com seu dinheiro? Não se ouvia falar de farras, bebedeiras, escândalos. Mas de uma fundação, voltada para crianças. O herói mecereu o título. Deu exemplos, ótimos exemplos.

Na área do automobilismo, Nelson Piquet, filho de ex-embaixador, ultrapassou os limites de pontos na carteira nacional de habilitação. Foi pedir ajuda aos políticos, muitos de seu relacionamento? Não. Ele e a esposa foram, humildemente, às aulas exigidas pela lei. Sua declaração, nua e crua: errou, tem de pagar.

Raí e Leonardo são mentores de uma fundação voltada também para crianças. Não se ouve deles falar de noitadas e bebedeiras. São exemplos silenciosos de um modo de vida.

O falecido PT (o neo-PT não carrega mais o DNA original) tinha pessoas de muito valor. Iniciou no meio de um período ditatorial, e falava com ideologia nascido no meio popular. Formadores de opinião embasavam as idéias do PT. Nunca concordei muito com os métodos, mas o embasamento ideológico era o que se esperava. O PT de hoje abandonou aquelas idéias. E os idealistas originais abandonaram o PT. O partido, hoje, deveria prezar pela apuração das acusações, com o maior rigor. Punir culpados e provar inocências (reais, não inocências de discurso). Ao invés, evita investigar. Prejulga, com o viés sempre antecipável: "são inocentes os da minha turma, são culpados os demais".

Aquele exemplo do início, da ética acima de tudo, infelizmente morreu. E, depois de morto, está sendo renegado.

Quando o pai de um assassino diz que o filho estuda, não merece ficar na cadeia, ;e gente boa, nada mais faz que retratar um valor contemporâneo. Imaginou se ele fosse um político importante? O filho nem para a prisão iria.

Quando o pobre diz que se aproveitaria do cargo para vantagens pessoais (reportagem da Veja sobre um livro), retrata o mesmo Brasil.

"Farinha pouca, meu pirão primeiro".

Exemplos, precisamos de exemplos. Mas de bons exemplos. De pessoas que assumam bravamente seus erros, acreditando que deles sempre nasce um aprendizado. Precisamos de alguém que mostre ao Brasil, aos brasileiros, que o melhor caminho é a verdade. Precisamos de alguém que não somente fale de ética, mas que a demonstre no dia-a-dia, quem sabe influenciando-nos a todos para que seja nossa verdade nacional.

Repito: a melhor liderança é a exercida pelo exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário