quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Devargarzinho...

O Saguão de Congonhas já está quase como antes. Uma balbúrdia só.

O check-in está complicado. Pela TAM, podem ser três filas diferentes. O e-ticket, mais a fila de "não localizados" (às vezes), mais a fila de despacho de bagagem (se for o caso).

Aí, na entrada da sala de embarque, maus uma fila para checarem (novamente) os documentos de identidade. A seguir, a fila do raio-X, cuja máquina apita com a capa de um celular mas não com um molho de chaves... E ainda temos de tirar o notebook da pasta!

Fila para entrar no avião é inevitável, vá lá. Mas ficar 45 minutos dentro da aeronave esperando para decolar é demais. E para uma viagem de 45 minutos!

A volta, ah, a volta. Avião atrasa para chegar, atrasa para sair. Depois de 45 minutos de vôo, fica circulando sobre o mar por mais 25 minutos, aguardando a vez de pousar. E é impressionante a fila para decolagem que se vê em Congonhas!

Não mudou nada! Só que voltou ao estado (a)normal aos poucos. Já entupiu o saguão, já se formam filas no chão e nos céus. Mas já não se reclama mais, e os holofotes estão apagados.

Uma pergunta (de novo, confesso): os problemas dos controladores cessaram? Foram resolvidos, ou nunca existiram? Congonhas estava super-utilizado? Agora não está mais?
Até que um outro assassinato em massa aconteça, o Ministro da defesa segue falando que a ANAC "está paralisada, o que é bom". Os jornais deixaram de falar no assunto, e as empresas aéreas agradecem. Afinal, lucro comove, perigo não.

Sim, estou irritado. Entre as Maxxi Goiabinhas da vida, estamos na insegurança do mais pesado que o ar. Saio de casa e não se volto. A situação está como antes, e estamos todos quietos. Esperando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário