sábado, 22 de setembro de 2007

Atitudes e comportamentos

Tenho alguns amigos e amigas no orkut que participam de comunidades do tipo "minha atitude depende da sua". Com todo respeito que tenho pelas atitudes alheias, me sinto provocado a falar sobre o assunto.

No caso, parece que a atitude da pessoa com quem interagimos provoca a nossa. na prática, é exatamente o que acontece. Se a pessoa é indelicada, temos todo o direito de ser também. Certo? Se é ranzinza, sejamos também. Se é grossa, rude... seremos também.

Por outro lado, se for atenciosa, educada, gentil, aí, somente aí, teremos esse tipo de comportamento. É exatamente aí que entra minha discordância.

Desde pequeno, fui educado para ser atencioso, gentil, polido. E era punido quando não o era. Isto quando era pequeno e não tinha total arbítrio sobre meu comportamento. Depois de grande, crescido, pude escolher qual minha forma de comportamento. E, então, escolhi (pelo menos enquanto estou no controle) que eu quero ser educado, gentil, polido. E decidi também que será assim sempre. Independente da circunstância.

Há uma diferença básica. Eu escolhi. Eu defino como vai ser meu comportamento. Estou me lixando para um idiota que acordou de mau humor. O meu humor é bom, porque eu decidi que é assim.

Escolhi ser bem humorado, escolhi ver o lado bom da vida. Escolhi que meu comportamento é definido por minhas crenças, minhas verdades. Não por pessoas que (às vezes) mal conheço, e que talvez estejam tendo um dia ruim. Escolhi que meu destino, meu comportamento, minha atitude, dependem de minhas decisões, meu valores, minhas escolhas.

Acho que a maioria das pessoas que pensam assim nunca pararam para analisar o poder que dão a algumas pessoas e/ou comportamentos. Reagir é nossa opção, e independe de quem ou o que acontece. Ou deveria ser.

Eu mesmo só fui me dar conta desta verdade após ler o livro "Os sete hábitos de pessoas muito eficientes", de Stephen Covey. Felizmente, consegui aprender o conceito e aplicá-lo.

Hoje, não mais deixo que pessoas ou circunstâncias decidam meu comportamento. Antes, sou eu que decido.

Ponto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário