quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Brasil andando...

Passos largos para a CPMF. Foi aprovada, de forma preliminar ontem, a continuidade da cobrança, que agora vai a votação.

Era um imposto, virou contribuição. Provisória. Que, acho, deveria acabar um dia, por ser provisória.

Na versão mais discutida, na era Jatene, era para custear a saúde. Virou um balaio de gatos. FHC gostava dela, Lula criticava. Agora Lula gosta, FHC critica.

Já foi de 0,20%, Hoje é de 0,38%.

Onera as transações, independente de origem da movimentação. O povo não gosta, mas não reage, ou porque parece pouco, ou porque no Brasil não adianta espernear.

A discussão política está o seguinte ponto: se o governo federal aceitar dividir a receita com estados e municípios, a aprovação é certa. Se não, pode ser (sim, pode ser) que não seja aprovada.

Incrível que a discussão indigente seja em cima de quem ganha. Se todos ganharem (políticos, ou governos), ok. Se não, se alguns ficarem fora, polêmica.

Quem perde de fato somos nós, que pagamos nossas contas com movimentação em banco. Quando o governos passa o chapéu obrigatório em nossas contas, tem bons motivos para isto. esse dinheiro precisa ser mal gasto, para justificar os mensões, as fortunas de mais de dez milhões de reais de senadores, etc, etc...

Nenhum comentário:

Postar um comentário