sábado, 4 de agosto de 2007

Acidentes

Estes dias, indo para São Paulo, logo pela manhã um acidente com um caminhão na Bandeirantes. Impressionante, pois a cabine estava inteiramente destruída, parece não ter condições de sobrevivência àquela violência.

No retorno, no início da noite, outro acidente. Desta vez um caminhão e um Palio, parecia, e desta vez era o carro que estava destruído. Todo retorcido, acho difícil que alguém tenha sobrevivido.

Seria irresponsável deliberar sobre as causas dos acidentes. Mas uma constatação já se pode apresentar: o grande número de acidentes que envolvem caminhões. Que circulam o dia inteiro, com necessidades de encurtar seus horários, abusam da carga de trabalho e da velocidade.

Dias antes, vinha para Campinas pela pista central, a 110km/h Na Bandeirantes (de velocidade máxima de 120 km/h para automóveis e 90km/h para caminhões), quando um caminhão de carga colou atrás do meu carro e passou a dar sinal de luz e buzinar para pedir passagem. Ele estava a mais de 110 km/óbvio. Tudo isto na frente do carro da polícia, que parece não se importar com o assunto.

Como os acidentes de estrada são fragmentados, não impressionam tanto quanto a queda de um avião. Mas matam muito mais. Desde a privatização das rodovias, os policiais não fazem mais aquela fiscalização de parar o motorista, multar, advertir. Na verdade ainda fazem, mas em quantidade que não chega a coibir os excessos.

Caminhões têm poder de destruição muito grande, ainda mais a altas velocidades. Não há solução imediata para esses abusos. Vamos esperar, como resta, que tenhamos sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário