segunda-feira, 16 de julho de 2007

Pegadinhas

Uma das maiores justificativas para divórcio que ouço é que a pessoa não conhecia realmente a outra. E, no decorrer dos tempos, o conhecimento levava à uma desilusão que impossibilitava a continuidade da relação.

Tive oportunidade de presenciar vários casos em que o conhecimento estava ali, pedindo para ser adquirido. Mas a máscara da cegueira foi vestida conscientemente, por alguém que se negava a ver as evidências. Enfim, escolheu não ver, e o resultado foi o previsível: divórcio.

Numa outra ocasião, acho até que contei neste espaço, uma amiga, perguntada sobre o novo namorado, que tinha comportamentos que sabidamente ela não gostava, respondeu, com um sorriso malicioso, que ela o mudaria.

É bom quando o sapo vira príncipe. Mas é raro. Mais comum é o príncipe virar sapo, ou menos. Trata-se de expectativas. Esperamos demais da pessoa que elegemos. E nunca tratamos dessas expectativas. Normalmente porque essa discussão traria a verdade à tona. E ela acabaria com nosso enlevo, vale dizer, acabaria com nossos sonhos. Acordaríamos. E basta estarmos acordados durante todo o tempo.

Relacionamentos estão cada vez mais fugazes, efêmeros. talvez em decorrência dessa idealização que fazemos, e cedo nos decepcionamos. Ou talvez porque há a opção de separar, e nem sempre tentamos tempo suficiente, ou com a dedicação necessária.
Triste, mas é um sinal dos tempos.

O vídeo abaixo, uma pegadinha de péssimo gosto, ilustra bem o que penso a respeito. Só que a venda, nós mesmos a colocamos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário