quarta-feira, 18 de julho de 2007

Pan-brasilianas

Recorde: Discurso Zero Do José Simão (na Folha de São Paulo e na BandNews): Lula já bateu um recorde. O dos discursos. Zero segundo. O mais rápido da história.
Medalha de Prata
Se acontecer o que o mercado espera, o Brasil perde a medalha de ouro dos juros reais, e fica com a de prata. É para lamentar ou comemorar? Só não perde se o CMN não baixar a taxa de juros. É para torcer a favor ou contra. E o que é a favor? E o que é contra?

Recorde 2: Probidade
Assim que tomou posse, Gim Argello (suplente de Joaquim Roriz) já recebeu um pedido de investigação por quebra de decoro. Vá ser rapido assim lá no Rio...

Heróis
A seleção de futebol ganhou da Argentina. Heróis? Não. Os medalhões andam de Audi, almoçam e jantam, têm preparador físico, etc. Ganham muito dinheiro, fora alguns coitadinhos (ainda), mas que chegarão lá.
Herói, de verdade, foi nosso Tae-ken-doca. Sua mãe ainda anda de ônibus, pois o dinheiro ele gastou, numa farra para se preparar para os jogos. Farra de treinamento. Farra de dedicação. Farra de quem quer alcançar um objetivo. Foi, literalmente, à luta. E conseguiu.
Mérito dos R$ 600,00 que o governo lhe endereçava, com atrasos? Não acho. Mérito da mãe, que respeitou (e, acredito, apoiou) a meta do filho. Mérito do lutador, que foi em busca do sonho. E, sem acordar dele (não precisa), disse a verdade ao Brasil. Lutador, esse menino, Diogo Silva.
Pois, sem seus R$ 600,00 por mês, foi a uma vila construída sem licitação, a preços superfaturados, viu clientes e convidados com tratamentos VIP (alguns whiskys custam R$ 800,00 a garrafa), viu emergências que não eram as suas tratadas como prioritárias, mas viu todo o Brasil comemorando sua, repito, sua vitória.

A vitória é sua, sorte nossa que você é brasileiro, Diogo. Eu, como brasileiro, mal sabia de sua luta, malgrado toda a sua exposição na mídia (ironia minha, claro). Nem telefonei para meu compadre para que ele o colocasse na lista dos mensalões, nem pedi que você fosse beneficiado por alguma construtora. Você tem algum amigo lobista que paga suas despesas, com seu dinheiro? Parece que não. Então, caro Diogo, você é realmente um herói. Um herói por vocação (não vacação), mas brasileiro por acidente, ou coincidência. Mas um verdadeiro herói.
Espero que, agora, herói, alguém se lembre de você. E esse alguém será, se temos memória neste país, os Correios, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal... Ou seja, o governo, surfando na sua onda. Mas, não reclamemos. Você conquistou esse direito. E nem precisa combinar, por telefone ou pessoalmente, a partilha do que ganhar.
Parabéns.
Você é lutador, não desista nunca!

Nenhum comentário:

Postar um comentário