sábado, 7 de julho de 2007

O Cristo Redentor

Terminou ontem a votação para as 7 Maravilhas do Mundo Moderno. O Cristo está concorrendo. O resultado deve sair às 15h (de Brasília). O Cristo estava em oitavo em uma das prévias. Será que deu?

Pessoalmente, acho que não tem a mínima importância. Fora os interesses comerciais envolvidos, a votação é de uma inutilidade espantosa. Ao estabelecer o número cabalístico de sete, que objetivo teriam os organizadores? Eleger sete substitutos, claro. E daí?

Já falei neste espaço sobre outras votações tão importantes quanto esta. Por exemplo: quem é melhor, Senna ou Schumacher? Pelé ou Maradona?

Santa Falta do que fazer, Batman!

Parece que as nações muito precisam de lenitivos. E estes se expressam nos heróis locais. Pelé, Senna, o Cristo teriam essa característica. Seriam uma vitória nossa, de todos, com a qual nos embriagaríamos, festejaríamos, esqueceríamos ois boigates e bezerrogates da vida, e por um período, um breve período, seríamos completamente felizes...

Se o Cristo não vencer, tem o Pan. Junto com o Pan, tem a Copa América. Se não der, tem o campeonato brasileiro... Distrações lúdicas para nossa vida carente de realidades.

Agora, se o Cristo vencer, aí a coisa muda de figura. Multidões do mundo todo afluirão ao Brasil, ao Rio de Janeiro, para ver a maravilha. Esquecerão dos assaltos, dos homicídios que muitas vezes vitimam turistas, as balas perdidas, o caos aéreo, tudo isto para ver o Cristo. Esquecerão que o Brasil tem uma sexóloga à frente da pasta da cultura, e sua ação mais firme até hoje foi uma recomendação baseada na sua especialidade. Enfim, se o Cristo for eleito, milagres acontecerão...

Só mesmo no Brasil. Como Deus é brasileiro, pode até ser mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário