terça-feira, 24 de julho de 2007

Imprensa

Lendo a Revista Veja deste sábado, a Folha deste domingo (22/07) e o próprio Jornal Nacional, temos de agradecer por termos uma imprensa livre. Mais: livres, neste momento da história, de cores partidárias. Ao menos nestas situações.

Se dependêssemos de informações exclusivamente do governo par a obter notícias sobre o acidente, talvez entrássemos na era medieval novamente. Somente imagens que passassem pelo critérop "Top, top, top" do assessor Marco Aurélio Garcia. Ou sje,a o que é bom para o governo.

O resto, seria para sempre uma caixa preta.

As notícias veiculadas pela imprensa, num panorama geral, é que nos fornecem de fato a orientação do foco do problema. O que aconteceu, o que deveria ter acontecido. Por que aconteceu. Opinião de especialistas, análises mair criteriosas, tudo isto tem sido apresentado pelos meios de comunicação.

Na prática, não representa nada. A não ser um novo lado para esconder

Nenhum comentário:

Postar um comentário