quinta-feira, 5 de julho de 2007

Caos

Um acidente na marginal, lá no fim dela, causa o maior transtorrno em São Paulo. Ao chegar pela rodovia dos Bandeirantes, encontrar o trânsito parado na via de três (até quatro pistas), com velocidade máxima de 120 km/h já é um péssimo sinal.

Interessante notar como as pesssoas reagem ao fato. alguns lêem. Outros, muitos outros conversar pelo celular. Alguns se irritam, inutilmente, claro. Em comum, o fato de que todos vão se atrasar para alguma coisa.

Costumo dizer que, nessas situações, podemos escolher vários caminhos alternativos, mas, na verdade, escolhemos onde é que vamos ficar parados. A saída, supliciana, é relaxar.
Certa vez, ao conversar com uma amiga, eu notei que estava irritado. E percebi que o motivo da irritação era que, naquele dia, o trânsito estava andando, e eu não estava conseguindo ler o jornal. A gente se acostuma com cada coisa...

O mar de carros em São Paulo é impressionante. Aí escuto na CBN uma especislista dizer que é preciso trocar o carro pelos transportes públicos, para evitar congestionamentos. Como não tenho vocação para sardinha, troco de emissora.

Resultado: chego atrasado quase duas horas ao meeu compromisso. Por ser São Paulo, a resignação e compreensão são totais. Para viver no inferno temos que ter resignação...

Nenhum comentário:

Postar um comentário