sábado, 2 de junho de 2007

Zappeando

Venezuela
Quem fala o que não deve... Chávez apelou. Lula grudou o zap na testa e subiu na mesa. Agora vai??? o Congresso brasileiro, noves fora todas as trapalhadas, se posicionou sobre o assunto, diferentemente de Lula. E o ataque de Chávez foi diretamente o Congresso. E lula não gostou, chamou (mandou chamar) o embaixador no Brasil para os "indispensáveis esclarecimentos". Foi uma reação rápida, sem titubeios, bem diferente do Lula habitual. Que bom.

Ainda Venezuela
Universitários iriam às ruas ontem protestar contra o fechamento da RCTV. Não puderam. Foram impedidos pela polícia. Quem se lembra das imagens da China, daquele solitário à frente dos tanques, imagem que correu o mundo e virou ícone? A população vai acordar contra a ditadura? Chávez, o amigo de Lula, tem condições de enfrentar isto? Lembremos do triste fim de Fujimori. Tomara que o povo possa decidir.



Clodovil
Erro da Gol coloca Clodovil em assento errado. Já aconteceu comigo, é comum. O que espanta é a belicosidade do deputado. Que teria dito merecer respeito, por ser idoso e deputado. Concordo com o respeito ao idoso, e concordo com o respeito ao deputado. Mas, como deputado, estabelecer essa relação de forma unilateral, isto é, o respeito que exige, ele não deve?
Mas, vá lá, não ouvi outros relatos sobre o assunto. A alegação de agressividade é do comissário de bordo. Outros passageiros vaiaram. A questão: teria sido mesmo desrespeitoso, ou já há um preconceito contra Clodovil, que contamina todas as análises de seus atos?

Senado
Aprovado aumento para os congressistas. Medida atinge o presidente da república, senadores, deputados e funcionários das casas, além do vice-presidente e ministros. Em tempo recorde, essa aprovação. Se outras medidas fossem assim tão rápido...
O presidente da comissão que aprovou o aumento é Aloísio Mercadante. Do PT. Voz dissonante, a única, Jeferson Perez. Do PDT. Mas não é o partido falando. É, mais uma vez, a voz da pessoa de Perez, que só encontra eco na voz de Pedro Simon. Sempre que o assunto é ética, estes são os dois que podemos esperar que falem em nome do povo.

Renan Calheiros
A tática? Considerar encerrado o caso. Nada está provado, nem contra, nem a favor. Um ministro japonês se suicidou só por ter de enfrentar acusações. Na China, um dirigente de uma empresa estatal foi condenado à morte por acusações de corrupção. Que diferença de culturas não?

Nenhum comentário:

Postar um comentário