sábado, 30 de junho de 2007

Motos

Uma notícia da Folha On-line dá conta de que aumentou o número de mortes de motoqueiros em São Paulo. Alguém se surpreendeu?

Estes dias, chegando em São Paulo pela Rodovia dos Bandeirantes, o trânsito estava quase parado. Carros circulando a 5km/h, em vários kilômetros de lentidão. À frente, quando o trânsito começou a andar, um carro mudou de faixa. Logo atrás vinha uma moto, e estava a uma boa distância. Sem perigo, portanto. Pois o motoqueiro passou e chutou o carro. E seguiu gesticulando veementemente.

Fiquei pensando em qual terá sido a reação do motorista. Que mal viu a moto se afastanto. E que, com certeza, não a viu chegando. Porque era uma curva, e ele não poderia mesmo vê-la, por mais que tentasse. E, numa manobra válida, mudou de faixa e foi chutado...

Essas motos (era a primeira de um grupo) passaram a pelo menos 80 Km/h (estimativa minha, um chute, pode ser menos, mas pode ser mais). Transitando nessa velocidade, em meio a carros parados, é óbvio que há perigo. E que, se um carro sair um pouco de sua linha, há mais perigo ainda.

Impressionante que o motoqueiro tenha se sentido com autoridade para chutar o carro que não infringiu nenhuma lei de trânsito. E, mesmo que quisesse, não poderia ver a moto se aproximando. É, a lei da selva no trânsito de São Paulo. Os perigos existem, os motoqueiros os ignoram, as famílias sofrem... A morte é o limite? Não devia ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário