quinta-feira, 14 de junho de 2007

"Esqueçam o que escrevi"

Quando essa frase foi proferida por Fernando Henrique Cardoso, o assombro foi geral. Afinal, o sociólogo-presidente estava autorizando a esquecer sua história pregressa, para enxergar somente suas ações de presidente.

Isto me veio à mente por causa de Lula e o PT. Antes de assumir o governo, eram favoráveis às denúncias. Agora, são favoráveis às pizzas. Quem mudou? As pizzas, ou Lula-PT?

Um dos personagens centrais do impeachment de Collor (aliado), estava Renan Calheiros. Contra Collor, o Brasil, inclusive o PT. Hoje, ao lado de Calheiros, o PT. Metamorfoseado em governo, O PT-Lula defende os seus, ou os que o defendem.

No episódio do Vavá, Lula duvida (duVivida?). Duvida da capacidade do irmão, duvida que tenha feito lobby... Mesmo que o outro irmão, o Frei Chico, o tenha admoestrado a respeito. Mesmo com as gravações da polícia federal...

Nos Jogos Panamericanos do Rio, Lula reclamou de quem reclama dos custos. Entende-se. Os baluartes da moralidade (antes de ser governo) não querem abrir os gastos com os cartões de crédito corporativos da presidência, cujos gastos, inexplicados, vão às alturas. O cidadão comum bem que gostaria de estourar assim suas previsões de gastos, com essa despreocupação que Lula apresenta. O Pan, de uma conta estimada de pouco mais de R$ 409 milhões, já está em mais de R$ 3,2 bilhões. E nem se trata de caixa dois, nem de contribuição de campanha, nem de mensalão. Trata-se de nosso dinheiro, aquele que falta para obras de infraestrutura, hospitais, escolas, e outras superfluidades.

É, aquele PT que caminhou pelas diretas já, e pelo impeachment, e contra as privatizações, e contra a compra de votos para a emenda da reeleição já não é mais o mesmo. Resta saber se o problema é o cargo (o poder corrompe?) ou é o partido.

A conclusão, temo, será aquela de sempre: os culpados somos nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário