sábado, 24 de março de 2007

Notícias do Brasil

Aumentos
Deputados aumentaram os próprios salários, mais os do presidente e ministros. E ainda estabelecem um limite de aproximadamente R$ 5.000,00 para despesas sem comprovação. A matéria ainda vai a plenário, para votação final.

Empregos
A Governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, que é do PT, nomeou como assessoras a sua cabeleireira e sua esteticista. Salários de R$ 1.500,00 e R$ 1.000,00, respectivamente. Como a mídia fez barulho, ela reverteu as nomeações.

Petrobrás
Há uma relação de 26 suspeitos de se beneficiarem com notícias privilegiadas sobre a compra da Ipiranga pela Petrobrás. Notícias vazadas deram chance deles operarem com ações da empresa antes do anúncio, garantindo ganhos enormes.

Lula e Collor
A mídia gritou que Lula recebeu Collor no Alvorada. Lembraram do movimento pelo impeachment, etc.

Os casos do PT do Pará, dos aumentos dos deputados e afins e da Petrobrás só confirmam que o Brasil se move pelos amigos. Critério, só o da amizade e do interesse. Aqueles que antes nos defendiam se tranformaram em Chapolins Colorados. E agora, quem irá nos proteger?

Quando à recepção de Collor e sua bancada, acho que a democracia exige isto. O ex-presidente foi punido com suspensão de direitos políticos, o prazo expirou, agora volta a exercê-los. Mais: foi eleito pelo povo, para representá-lo no senado. Como senador, não deveria ser recebido pelo presidente?
Democracia, respeitamos a maioria, quer gostemos ou não. Lula fez sua parte. Prefiro vê-lo sendo civilizado com um ex-desafeto a vê-lo como um destemperado, que não cabe no perfil de presidente.
Ademais, a punição de Collor foi cumprida. Nossa noção de justiça não admite isto, mas o "crime" está pago. Aqueles que querem uma punição eterna deveriam se movimentar pela aprovação de lei nesses termos. Caso contrário, este é o estado de direito de que necessitamos. Mais do que isto, é uma ditadura.

Por falar em ditadura, a SUSEP, órgão responsável pelo ramos de seguros no Brasil, aprovou normas que, segundo o mercado, beneficiarão os maiores bancos dessa área. O mercado reclama da imposição dos regulamentos, sem conversas com os interessados. E reclamam do prazo dado, inexeqüível, na sua opinião. Especialistas concordam. Governo diz que era sua prerrogativa fazer dessa forma. Batendo três vezes na madeira, me deu saudade da ditadura, que era mais democrática... Alguém duvida que os bancos tenham gostado? Por que é que os poderosos só ganham, e nós só perdemos? Ah, quanto você doou para as campanhas políticas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário