quarta-feira, 28 de março de 2007

A estupidez do pai



Esta é uma cena que parece de filme, mas é a realidade.
O pai da nadadora Kateryna Zubkova, ucraniana, a agrediu após não obter a classificação no Mundial de Desportos Aquáticos.

Sempre pensei que os esportes significassem um elevação de sentimentos, um escape à rotina de competitividade dura do dia, aqui substituída por uma competitividade saudável, altruísta, de fair-play.Parece que nem todos pensam assim.

O importante é competir?

Quem se lembra da maratonista Gabrielle Andersen, nas Olimpíadas de 1984, que chegou ao final quase desmaiada, a duras penas, num esforço que ultrapassou em muito sua capacidade física. Ela não ganhou a prova, mas deu um belo exemplo (ao menos em relação a cumprir aquilo a que se dispôs).

Espero que esse pai passe a enxergar a vida com outros olhos.
A propósito: por que ele não compete?

Veja o vídeo:



Update em 20/05/2008: o vídeo que estava postado foi retirado do ar, eu o substituí pelo acima. Às vezes acontece...

Nenhum comentário:

Postar um comentário